Professora da rede pública utiliza seu décimo terceiro para premiar alunos









                                                                                       

Premiação 'estrelinhas' 2018 (Foto: Aécio de Oliveira)


Desde o ano de 2014, quando foi aprovada em um concurso público, Aline Martins Belarmino que reside no município de Guarabira, exerce a profissão de professora de história, na comunidade do Braga de cima, município de Tacima - PB.
Aline, que também é advogada, decidiu utilizar o seu décimo terceiro, para premiar os alunos destaques das turmas de sexto ao nono ano, em sua disciplina. A professora descreve o ato, como uma forma de incentivo a educação, onde é propiciado aos alunos que tem as melhores médias e  comportamentos durante todo o ano letivo.

A premiação que é feita pela professora, já contou com brindes como viagens e tablets, e em 2018, com um envelope contendo uma quantia financeira, além das medalhas, para 08 alunos, dentre eles, os melhores alunos das turmas que ela leciona na escola João Emídio dos Santos.
Esse ano, a professora inovou, premiando um aluno do sexto ano, que repetiu a série por ter sido reprovado em 2017, mas esse ano se destacou pelo esforço, recebendo o reconhecimento e a premiação dada pela professora.

Aline Belarmino, professora e advogada
(Foto: Aécio de Oliveira)

“É uma realização pessoal, pois isso que faço, é acreditar que nós quanto professor, podemos fazer a diferença na vida do aluno...” Diz Aline.

A atitude da educadora, tira toda e qualquer ideia, de promoção pessoal, até porque, a cerimônia é feita de uma forma bem simples, contando apenas com a referida professora, alunos, um representante familiar de cada premiado, e funcionários da escola devidamente convidados pela professora.
Ela destaca que ensina em uma comunidade carente, afastada dos grandes centros, e percebe que parte dos alunos não visualizam a educação como perspectiva de futuro. Por isso que ela acredita que o incentivo das premiações feitas por ela, pode fazer com que eles percebam no presente, algo que só perceberiam em um futuro distante.

Ao falar sobre fazer a diferença na vida dos alunos, ela menciona que:

“Esse incentivo é pra mostrar que a educação vale a pena hoje, e consequentemente quando se pega gosto pelo estudo, pelo conhecimento, teremos um futuro melhor''.

Ela ainda explica que, o fato de vivermos uma ‘cultura’ atual da não leitura, em especial na disciplina  de história, que é uma disciplina que exige muito dessa habilidade, é preciso que o professor (a), tenha estratégias para que os alunos sintam prazer e obtenham o aprendizado necessário da disciplina, e ela faz isso através de dinâmicas e brincadeiras, que tornam as aulas mais divertidas, e a consequência de tudo isso, são os bons resultados obtidos.

A professora em sua fala destaca que, consegue fazer as ‘estrelinhas’ como ela intitulou a premiação anual, devido a sua outra profissão de advogada, onde ela ‘sacrifica’ seu décimo terceiro, para propiciar aos alunos esse momento brilhante. Ela ainda reforça que no Brasil, apesar de estar em um cargo com remunerações que tem melhorado a cada dia, infelizmente se dependesse apenas do salário de professora, ainda não daria para realizar esse lindo projeto.
Ela diz que faz tudo isso sem nenhum constrangimento, com muita alegria e que gostaria de ter condições de fazer muito mais pelos alunos que passam o ano inteiro com ela.
Ela cita com um largo sorriso no rosto, o nome de alguns alunos que se destacaram desde que ela iniciou o projeto, dentre eles o aluno Dagoberto, que não mais está na referida escola, mas que foi destaque por três anos consecutivos, por suas notas excelentes, ganhando sempre o prêmio de aluno destaque da turma.

Também exibe um sorriso maravilhoso, quando diz que parte dos alunos se identificam com a sua profissão de advogada, e que mesmo ainda estando no ensino fundamental, eles falam sobre o desejo futuro, de fazer o curso de direito, e isso é muito gratificante, reflete ela.
Ela afirma que, ainda não dá pra perceber em qual profissão os alunos da escola pública, em especial do ensino fundamental se dará bem, mas que é perceptível que teremos grandes profissionais oriundos delas, e que a comunidade do Braga, que ela afirma ter um carinho muito grande, será contemplada com grandes profissionais vindos da escola João Emídio dos Santos.

Pra finalizar, ela deixa uma mensagem dizendo que, estudar é cansativo, mas é o único meio necessário para quem quer vencer na vida, e aconselha a todos, que façam disso, a tábua de salvação, e sigam em frente sempre, pois vale a pena.

Fotos da premiação 2018










Por: Aécio de Oliveira

Fonte: http://aeciotacima.blogspot.com

Share to Facebook Share to Twitter Share to LinkedinStumble It Share to Google Buzz Mais...

veja também

0 comentários em: "Professora da rede pública utiliza seu décimo terceiro para premiar alunos"

Deixe um comentário!

Publicidade how to make gifs

Últimas Notícias

Todos os direitos reservados.