Ricardo quebra silêncio, fala de investigações em torno da Cruz Vermelha e elogia João por intervenção em Hospital de Trauma de JP











                                                                                       



O ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) quebrou o silêncio, e pela primeira vez publicamente, falou das investigações do Ministério Público em torno de uma suposta irregularidade na Cruz Vermelha Brasileira com desvio recursos identificadas na “Operação Calvário”.

Em entrevista concedida a TV Master pela primeira vez após deixar o comando do Estado, Ricardo afirmou que a organização cumpriu com as suas obrigações contratuais na gestão pactuada do Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena (HETSHL), em João Pessoa.
Ele disse ainda que desconhece algum prejuízo do Estado dentro de contrato com a Cruz Vermelha
“Não tenho muito o que falar sobre a Cruz Vermelha, pois, uma empresa, seja ela social ou comercial, quando é selecionada ou vence uma licitação, tem que prestar o serviço. Se ela presta esse serviço de forma errada ou tem feito algo que seja ilegal, ela precisará responder por isso. Eu falo é pelo Estado, pelo sistema de saúde, e por uma situação que conheço como poucos. ”, disse Ricardo.
Ricardo disse ainda que quando assumiu o Governo do Estado em 2011, a Paraíba tinha o maior hospital do Estado que não conseguia funcionar, com pessoas morrendo por falta de atendimento.
Ele garantiu que sempre teve uma postura contrária às organizações sociais, e tomou a decisão devido a falta de assistência à população”. O objetivo foi melhorar o atendimento a população, e garantir saúde de qualidade para todos.
O socialista citou um acontecimento, que para ele e inaceitável, que foi quando um jovem morreu na porta do Trauma, sem assistência. “Eu estava em Brasilia quando recebi a noticia, e de imediato, decidi providenciar a entrada de uma organização social para o hospital. Chega da falta de assistência para à população”, afirmou.
O ex-governador justificou que a gestão pactuada conseguiu melhorar a assistência promovida pelo Hospital de Trauma. Segundo ele, o número de leitos internos aumentou de 138 para 331, de leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de 13 para 35; elevando o número de cirurgias mensais de 4 mil para cerca de 17 mil; e de raio-x de 3,9 ml para 78 mil mensais.


“Só foi possível retirar o Trauma daquela situação de insolvência, e ter governabilidade e ordem lá dentro com uma organização social, que foi a Cruz Vermelha que era conhecida de todo mundo. Até hoje, eu desconheço algum prejuízo que o Estado tenha tido dentro desse contrato. Não sei qual é o prejuízo, você ter um hospital que custa R$ 12,8 milhões, ou seja, o mesmo custeio do Trauma de Campina Grande”, pontuou.



Ainda segundo Ricardo Coutinho, a oposição, que chegou a cogitar a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Assembleia Legislativa para investigar a gestão pactuada com a Cruz Vermelha, sequer criticou a gestão do Hospital de Trauma nas eleições de 2018. “Passamos por uma eleição recentemente e ninguém falou nada”, frisou.



Diante das investigações, o socialista considerou acertada a intervenção estatal do Governo João Azevêdo na gestão do Hospital de Emergência e Trauma, Hospital Metropolitano e Hospital Regional de Mamanguape, que mantinha gestões pactuadas com organizações sociais.



“O governador João Azevêdo decretou intervenção, não por irregularidade conhecida do governo, mas em decorrência de intervenção que a Cruz Vermelha Brasileira fez na [Cruz Vermelha] do Estado que era contratada, e não comunicou ao Governo. Foi uma intervenção correta para garantir aos funcionários e servidores que eles recebam aquilo que o Estado repassa religiosamente em dia”, concluiu.


Fonte: PB Agora

Share to Facebook Share to Twitter Share to LinkedinStumble It Share to Google Buzz Mais...

veja também

0 comentários em: "Ricardo quebra silêncio, fala de investigações em torno da Cruz Vermelha e elogia João por intervenção em Hospital de Trauma de JP"

Deixe um comentário!

Publicidade how to make gifs

Últimas Notícias

Todos os direitos reservados.