Ludgério explica porque se recusa a assinar CPI da Cruz Vermelha

A sugestão é que o Ministério Público abra espaço para a presença de um parlamentar participar das investigações





Manoel Ludgério é deputado da oposição (Foto: Nalva Figueiredo)


O deputado estadual Manoel Ludgério (PSD) explicou, nesta terça-feira (12), porque se está se recusando a assinar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar denúncias contra a Cruz Vermelha na Paraíba. O parlamentar garante que não é necessária essa apuração por parte da Assembleia Legislativa da Paraíba, já que outros órgãos competentes para isso estão conduzindo as investigações, a exemplo do Ministério Público e da Polícia Federal, além do Tribunal de Justiça que deve julgar o caso.
“Já tivemos isso na Assembleia. Não aderi a João Azevêdo, apenas não vou assinar (a CPI) porque esse processo já está em curso. No Ministério Público do Rio de Janeiro esse processo já esta adiantado, no da Ministério Público da Paraíba também já está em estágio avançado, o Tribunal de Justiça já está também, Ministério Público Federal e Polícia Federal, então se nenhum órgão desse tivesse tomado a inciativa de investigar aí sim caberia a Assembleia fazer a apuração, uma apuração paralela não sei em quê vai resultar”, disse.
Participação na investigação
A sugestão de Manoel Ludgério é que o Ministério Público abra espaço para a presença de um parlamentar participar das investigações. “Eu proponho que o presidente Adriano Galdino peça à coordenação dessa investigação, ao Gaeco, que permita a participação de alguns parlamentares, de forma suprapartidária, que possam acompanhar as investigações.
Deputado nega ingresso na bancada de situação



Fonte: https://portalcorreio.com.br
                                                     

Share to Facebook Share to Twitter Share to LinkedinStumble It Share to Google Buzz Mais...

veja também

0 comentários em: "Ludgério explica porque se recusa a assinar CPI da Cruz Vermelha"

Deixe um comentário!

Publicidade how to make gifs

Últimas Notícias

Todos os direitos reservados.